Sapa, sapa, sapa, tão

Esta pieza llamada “Sapa, sapa, sapa, tão”, fue creada por Coding Rights, en 2019 del milenio pasado para responder a violencias como lesbofobia, silencio histórico, prácticas comunes en el distante siglo XXI.

2019coding-rightssapa-sapa-sapa-tao
  • sapa

  • Screenshot from 2020-02-02 12-20-54

Essa sapinha bailante foi postada nas redes sociais pela organização ciberfeminista, Coding Rights, para comemorar o dia da Visibilidade Lésbica. Uns minutos depois, o Instagram censurou a imagem! Até hoje não se teve resposta do porque. Mas, durante esse episódio de censura, muitas outras coletivas sapatão afirmaram que tiveram posts ou conteúdos censurados em redes sociais simplesmente por se apropriar da palavra “sapatão”. Parece que, lá nos 2019, o algorítmo era lesbofóbico e não sabia entender ironias e reapropriações de palavras originalmente ofensivas, prática tão comum, particularmente do movimento LGBTQIA.

Formatos

Violencia a que responde